SÍNDICO MORADOR OU SÍNDICO PROFISSIONAL: SAIBA COMO ESCOLHER

A escolha entre síndico morador ou síndico profissional costuma ser um grande dilema dos condomínios. Afinal, a figura do síndico profissional ainda é muito nova no mercado.

No entanto, mesmo partindo da premissa de que o síndico profissional demanda qualificação para exercer o cargo, a escolha não é tão simples assim. Para tomar essa decisão, o condomínio precisa avaliar sua realidade e necessidades. Caso contrário, estará apostando em uma frente que não conseguirá resolver os problemas e demandas.

Qual a melhor escolha, então: síndico morador ou síndico profissional? Siga com a leitura e veja como tomar essa decisão!

Síndico morador e síndico profissional: diferenças

Antes de fazer a escolha entre síndico morador ou síndico profissional, é importante entender as diferenças entre as duas figuras.

De forma geral, não é apenas a remuneração que caracteriza as duas opções. Mas também, a maneira como o condomínio será gerida.

O síndico morador, normalmente, é alguém que se voluntaria para exercer a função. Portanto, essa é uma pessoa que tem o seu trabalho rotineiro e analisará as questões do condomínio em seu tempo livre.

Além disso, a remuneração do síndico morador costuma se dar pela isenção da cota condominial. Sendo que ela pode ser total ou parcial.

Já o síndico profissional é alguém cuja profissão é fazer a gestão de condomínios. Normalmente, o profissional também se dedica a mais de um condomínio. Portanto, suas condições e demandas de trabalho devem estar previstas em contrato.

Como a profissão ainda é muito nova, não há um salário mínimo estabelecido para o síndico profissional. Portanto, o valor costuma ser calculado com base nas horas que serão dedicadas ao condomínio e também deve estar previsto em contrato.

Conhecimento vs. pessoalidade

Agora que você já sabe as diferenças entre o síndico morador e o síndico profissional, vamos às questões importantes para a escolha.

Vale ter em mente que já se foi o tempo em que o síndico morador unia todos os conhecimentos necessários para fazer a gestão e ainda estava disponível 24h.

Lembre-se de que um bom síndico deve entender de finanças, leis, manutenção e ainda ser muito bom em lidar com pessoas e resolver conflitos. Portanto, esse pode ser um morador bastante difícil de achar.

Em contrapartida, um síndico profissional estudou e tem os conhecimentos necessários para gerir o condomínio. Ainda assim, exigir que ele esteja disponível 24h é uma utopia. Afinal, estamos falando de um prestador de serviços que irá atuar de acordo com o previsto em contrato.

Temos então duas medidas para tomar a decisão entre síndico morador ou síndico profissional: o primeiro mora no condomínio e conhece os moradores, no entanto, pode não ter todos os conhecimentos necessários para o função. Já o segundo tem os conhecimentos, porém, fará uma gestão muito mais impessoal.

Responsabilidade e profissionalização da gestão

Independentemente do síndico ser morador ou profissional, é importante reforçar que ambos têm responsabilidade perante à lei em relação ao condomínio. Portanto, esse é um ponto que precisa estar em mente, especialmente quando a escolha é pelo morador.

Outro ponto importante é que um condomínio precisa se manter valorizado. Ou seja, além de todas as tarefas diárias, o síndico precisa ter essa visão de quais iniciativas podem beneficiar o condomínio no longo prazo.

Ainda, é comum que os síndicos profissionais sigam as regras do condomínio de maneira mais rigorosa do que o síndico morador. E, justamente por ser um profissional, este também costuma ser mais respeitado pelos moradores. Afinal, por ele não fazer parte do convívio do condomínio, ele é uma figura isenta e sem o fator emocional para resolver os conflitos

Como fazer a escolha?

Agora que você já tem os prós e contras do síndico morador e do síndico profissional, fica a grande dúvida: como escolher?

Não existe uma resposta certa ou uma regra clara para essa questão. Tanto o síndico morador quanto o profissional podem fazer uma excelente gestão do condomínio.

O que realmente fará a diferença aqui são as capacidades da pessoa que assumirá o cargo. Ou seja, é preciso um bom planejamento, muitos conhecimentos e organização para acompanhar tudo o que acontece e sempre buscar o melhor para o condomínio.

Em outras palavras, o síndico precisa assumir o papel de administrador do condomínio. Afinal, ele precisa garantir com que as regras sejam cumpridas e fazer a sua gestão com transparência e muito preparo.

Se há um morador que se enquadre nessas características e a pessoalidade é um fator importante para o condomínio, pode valer a pena optar pelo síndico morador.Agora, se o síndico morador não está dando certo e o condomínio precisa de uma gestão mais firme e profissional, talvez valha a pena pesquisar os síndicos profissionais para assumirem a gestão.

fonte: Falando de Condomínio

Contato

 contato@moviva.com.br

(11) 4118-7711
LOGO MOVIVA Branco

©2020. Todos os direitos reservados.

 Av. São José, 618 Sala 402 – Cristo Rei, Curitiba – PR, 80050-350